sábado, 16 de junho de 2012

4ªFase-Questionamento

Esta é a 4ª Fase de uma blogagem coletiva que começou por encantamento,desencanto,esperança e agora vamos brindar com a 4ºfase


Questionamento--15-06-12
...Minha blogagem tem toda a ver com as várias fases,um primeiro amor uma desilusão ,a questão do porque eu?
Hoje com mais um pouco de meio século de vida ,questiono, nasci para quê?
Quando uma criança nasce e sente-se amada ela vive feliz e só vê amor, de pais de avós, de tios, primos,família,sim houve isso tudo,mas volto a questionar,pais que vivem para o trabalho,tios que só o são por ser, primos que alguém os teve de ter...
Aprendi desde os 5 anos a ficar sentada no chão à espera da D.Rita a cozinheira do parque das Necessidades em 1965, que chegaria por volta das 7,30, era o sitio em que ficava todo o dia. Aprendi também que se no autocarro só havia um lugar e nós éramos duas, ouvia logo da boca de minha mãe que eu era um estorvo.
Quando vinha cansada e a vida lhe corria mal,lá vinha o santo protetor,meu pai que acordava com os berros de minha mãe,sempre havia algo de mal,até poderia ser ter molhado o chão com água do alguidar onde desde tenra idade me lavava e depois lavava as cuecas e meias.
Questiono,para que nasci,se era tão má filha e se o pó não ficava bem lá vinha uma puxa dela de cabelos,se fugisse seria pior ou apanhava mesmo ou atirava facas, se o meu pai estava,
a coisa não chegava a tanto,pois o meu pai não admitia isso.
Quantas vezes me foi dito que não era minha mãe? que não me viu nascer poderia ou não ser filha dela.
Quantas vezes questionei se teria sido adotada,mas porquê,se não havia amor para dar.
Cheguei a questionar ficou sem mãe com 12anos e tinha irmãos pequenos um ainda de mama, será por isso, mas contavam os irmãos que ela lhes batia muito.
Os anos foram passando e as questões continuam a rolar na minha cabeça,tive filhos e nunca lhes fiz nada do que recebi, e no entanto, um já tem a sua vida ,o outro está a fazer 19 anos,mas pensa muito nele,mas tem que criar alicerces bem fundos para ser alguém,já que foi sempre bom aluno e por um desentendimento de amor deixa de estudar. Parece que recomeçaram e vai ter mais juizo.Tenho a minha caçula de 12 anos,muito preocupada e muito atinada,mas sofre de me ver sofrer,isso eu tenho de defender.
Continuo a questionar o porquê de eu continuar a sofrer,o porquê de continuar a sofrer pela minha mãe,que mesmo com bastantes limitações,acha que eu tenho obrigações,sou um saco de lixo como sempre o fui,tudo o que digo faz o contrário,tenta controlar a minha vida,mesmo lhe sendo detetado demência,que até eu já começo a por em causa.Eu continuo a questionar como pode o ser humano ser tão cruel, quando passa a vida em igrejas ,santinhos, e sei lá mais o quê,
No meio de tantas questões,ponho em causa o meu equilíbrio, eu amo o voluntariádo,gosto de ajudar o próximo,mas sofro as dores dos outros,mas isso para todos é tabu.
Começando numa sebenta e começar com questões chegamos por exclusão sofrer será minha missão,mas se é ,não está fácil de aceitar,porque eu cansei...um dia destes tenho a certeza que tudo será maravilhoso para mim...o meu pai me dará a mão e aí sim poderemos fazer os dois aquela tão saudosa pescaria.....

Peço desculpa pela minha participação,ter sido tardia, mas eu pensava que não havia mais fases,se houver mais estou nessa, se Deus quiser

12 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, arrepiei vendo o forte e intenso depoimento e desabafo nesses teus questionamentos. Que pena acontecer coisas assim,mas não deves te desvalorizar.Que triste,não. Fico torcendo que as coisas ainda possam ser mudadas. beijos,chica

elvira carvalho disse...

Minha amiga o seu relato é arrepiante, mesmo para mim que também sofri muito com minha mãe até à idade adulta. Nós eramos 3 irmãos, eu tinha mais 20 meses que a minha irmã, e 32 meses maois que meu irmão. Viviamos mal, ela sofria muito com doenças e trabalho sem poder. Então descarregava em mim. Se eu fazia uma asneira, ela me batia, porque eu estava a dar maus exemplos para os manos, Se eram eles que faziam asneiras, ela me batia porque eu era mais velha, tinha que tomar conta deles e não deixar. Depois eu cresci na revolta, e afrontava-a e levava mais por causa disso. Por exemplo, ela dava-me uma bofetada por qualquer coisa e eu desatava num berreiro. Ela mandava-me calar, e eu respondia."Isso é que era bom, se me queria calada não me batia" E claro levava mais.
Felizmente isto só durou até aos 16 anos. E coitadinha sofreu tanto depois 27 anos acamada depois de um AVC que a deixou paralisada aos 57 anos.
Nada que se pareça com o que conta. Oxalá ela consiga perceber todo o mal que lhe fez antes que seja tarde demais.
Um abraço

Márcia disse...

Querida amiga... adoro tuas palavras... tu escreves muito bem. Obrigada por me responder no meu blog. Não tenho tido notícias de Nina... está tudo bem? Não sei se tenho tido problemas com e-mail, mas recebo de todo mundo, só de nossa pequena que não. Por favor envie-me notícias dela... se o motivo for estudo e ela não estar entrando na net não há o menor problema, eu sei como é. Mas por favor envie um beijinho meu recheado de saudades... outro pra ti Xunandinha... aguardo resposta.
Até breve!!!

Bel Rech disse...

É muito complicado tudo isso, não é fácil, o porquê disso tudo..mas como disse , sua missão...Os caminhos são muitos e mais os questionamentos...
Paz e bem
Participo da BC

RUTE disse...

Querida Xunandinha,
não precisa se desculpar de ter esquecido. Não tem qualquer problema. Virei sempre, mas sempre, relembrar a data.

Aliás, o que quero mesmo, é agradecer-lhe por ainda ter postado artigo tão autentico e profundo. Admiro sua coragem de abrir o coração para nós.

Acredito que seja muito dificil entender os porquês de uma mãe agir desse modo. Você questiona a infância dela na busca de respostas. Mas as respostas podem estar num passado mais longinquo (em vidas passadas). De qualquer forma, nada é desculpa para certos comportamentos. A única desculpa poderá ser a fraqueza que ela tem de não conseguir controlar o negativismo, as baixas vibrações.

As pessoas mais reativas e com maus instintos são as que mais sofrem. É natural que a demência se instale nela. Ela se deixou devorar pela sombra.
Beijo de acalmia no seu coração.
Que Deus continue iluminando seu caminho até você conseguir perdoar tudo o que passou. Não é fácil, eu sei.
Rute
(já está postada a chamada para a 5ª e última fase, passa lá para conferir).

Susy disse...

Sabe, é mais fácil falar quando se vive algo bom. Do contrário, DIFÍCIL, é falar das coisas que acometem a alma. Parabéns pela a coragem de expor este sentimento. Eu sei, é algo que machuca. Mas não fiquei magoada... siga sua vida fazendo sempre o bem. Talvez isso aconteça porque existem pessoas que ainda não enxergam o caminho para a evolução. Sua mãe precisa de você... agora mais do que nunca. Não se culpe! Faça a sua parte, mesmo que ainda questione algumas atitudes. Seja forte! Você só tem a ganhar!

Um abraço apertado, junto com um grande sorriso.

Deus te abençoe!

Socorro Melo disse...

Oi, Xunandinha!

Sua história é forte, bem marcada de sofrimentos. Há certas questões que, por mais que tentemos, não conseguimos encontrar respostas, e a sua é uma delas. Fica difícil entender, como é que uma mãe, pode tratar mal o seu filho, mas, infelizmente, ninguém é igual,cada um tem suas particularidades, e não devemos julgar ninguém.
Sei que não é fácil, mas, pensa no amor verdadeiro dos seus filhos, e vive esse amor. Percebe-se que você é gente boa, portanto, se há alguém errado nessa história, não é você. Tenta ser feliz, e reza muito para a sua mãe, pois, creio que ela precisa, né?

Um grande abraço
Socorro Melo

xunandinha disse...

Minhas queridas,agradeço as palavras reconfortantes,mas fez-me bem desabafar,tem sido uma vida amarga,tento vencer com o voluntariado numa escola, e fazendo estes pequenos trabalhos para ocupar a mente,mas desta vez a depressão está a ser mais forte que eu,
Um grande xi coração a todas

Mensagens Abençoadoras disse...

Oi amiga, tbém estou na blogagem e vim te conhecer...
Sua história me tocou sabe...Tive uma infância e adolescência bem complicadinha tbém...hoje cuide minha mãe que esta com problemas mentais...usa fralda, dou banho nela,enfim...
Mas sabe amiga, Deus curou todas as mágoas do passado, e ela é meu neném..inclusive a primeira fase, a do encantamento fiz sobre ela...
Sabe eu me trato com uma terapeuta já a um ano e meio,para entender melhor as coisas do passado...
Ela explicou-me que preciso sempre lembrar que minha mãe sempre teve "Demência", então muitos dos maus tratos e rejeições da infância já eram provinientes da demência da cabecinha dela...
Obrigada por dividir sua história conosco, foi importante para mim e creio que para todos que estão passando por aqui...
Com amor
Marly

Luma Rosa disse...

Oi, Xunandinha!! Também estou atrasada com as minhas visitas aos bloggers amigos da coletiva "Amor aos pedaços".
Muito me compadeci do que passou nas mãos da sua mãe, por amar as crianças e defendê-las com unhas e dentes. Faz bem em fazer trabalho voluntário, isso nos dá alegria por doar o amor que temos pela humanidade. E sabe, estou com a Marly, a sua mãe não sabia o que fazia, talvez já era demente e não era do conhecimento de todos. Os frustrados também descarregam nos mais fracos, e os filhos são os que estão mais perto. Não deve se culpar por nada! E sempre é tempo de ver beleza nas coisas da vida e saber que você faz diferença, mesmo que esteja carente, seus filhos podem olhá-la como quem olha alguém que sempre os amparou e não precisa de amparo.
Obrigada por participar mais uma vez e com um relato tão forte e íntimo. Fiquei emocionada e estou torcendo para que mude o pensar negativo que se instalou em você.
Beijus,

Max Coutinho disse...

Olá Xunandinha!

Questões válidas, sem dúvida. E no seu caso poderá levar mais algum tempo a receber as merecidas respostas; mas elas virão :). O facto de ter conseguido colocá-las nesta postagem já é um princípio.

A sua experiência (aqui descrita) dispensa comentários, mas fique sabendo que nos faz reflectir imenso ao mesmo tempo que transmite lições vitais.

Obrigada por ter partilhado connosco estas palavras e, obrigada por ter visitado o meu blogue (Etnias: O Bisturí da Sociedade). Será sempre bem-vinda lá.

Um grande abraço e bom fim-de-semana

Orvalho do Céu disse...

Olá,
"O tempo foi teu amigo
Mandava-lhe ventos favoráveis
Mandava-lhe o orvalho da manhã"...
(Simone Martins)

Querida, vc é tão forte que me encanta ver seus depoimentos cheios de profundeza de alma... merecem respeito e carinho... coisas que as pessoas que estão de fora fazem mais julgar do que compreender...
Tenha sempre minha estima, sei que sabe disso...
Cheguei agorinha de uma Missão e volto pra agradecer o seu gentil comentário.
Bjm de paz